Pnae

PE: monitoramento do Sistema Oportunidades em setembro

A Secretaria Especial de Agricultura Familiar e do Desenvolvimento Agrário criou o Sistema Oportunidades para monitorar chamadas públicas abertas no âmbito do Programa Nacional de Alimentação Escolar (Pnae), em todo o país. Na plataforma, é possível realizar a consulta por estado e também município. Neste início do mês de setembro, já foram mapeados dois editais em Pernambuco.

BA: monitoramento do Sistema Oportunidades no estado

Você já conhece o Sistema Oportunidades? A Secretaria Especial de Agricultura Familiar e do Desenvolvimento Agrário (Sead) criou essa ferramenta de monitoramento das chamadas públicas que foram abertas para o Programa Nacional de Alimentação Escolar (Pnae) em todo o país. Na plataforma, é possível realizar a consulta por estado e também município. No início deste mês de setembro, foram mapeados três editais na Bahia. Confira!

Sistema Oportunidades para Compras Públicas da Agricultura Familiar

Você terá acesso a chamadas públicas para aquisição de alimentos da agricultura familiar em todo o Brasil. O Sistema Oportunidades, normatizado pela portaria 434, de 19 de julho de 2017, acompanha diariamente as compras públicas no âmbito do Programa Nacional de Alimentação Escolar (Pnae), em parceria com o Fundo Nacional de Desenvolvimento da Educação (FNDE), das Compras da Administração Federal (decreto n° 8.473/2015) e de Programas Estaduais e Municipais.

Apicultura fomenta cadeia produtiva do DF

“Sem as abelhas, o homem pode desaparecer em quatro anos”, profetizou Albert Einstein, numa previsão catastrófica, na primeira metade do século 20. Tal frase foi dita porque o inseto sempre teve um importante papel para a humanidade, não apenas pelos benefícios do mel. Países mais desenvolvidos utilizam a abelha como um instrumento de melhorar a produção agrícola. No Brasil, agricultores também estão aderindo à apicultura; e os resultados têm aparecido na fauna, na flora, na melhoria da qualidade de vida e da renda.

Adeus fumo, olá agroecologia!

Preocupado com sua saúde e a de sua família, o agricultor Gilmar Cognacco, 48 anos, decidiu mudar de vida e parar de plantar fumo. Desde criança convivia com a produção de tabaco na terra dos pais. Ao se casar, deu continuidade a atividade, mas começou a sentir os efeitos negativos.

Agricultora produz leite que alimenta alunos do Distrito Federal

Todos os dias, às 6h, Delma Evangelista do Carmo se levanta da cama e, mesmo antes de tomar o café, ordenha suas vacas leiteiras. Ao todo, são 42 cabeças de gado, que produzem oito mil litros de leite por mês. Ao sair da propriedade de Delma, localizada no Assentamento Buritis, em Luziânia (GO), o produto percorre 24 quilômetros de estrada de chão e outros 86 quilômetros asfaltados até chegar aos alunos da rede pública do Distrito Federal.

Políticas públicas, orgânicos e agricultura familiar na Biofach

Teria o Brasil algo a dizer ao mundo sobre políticas públicas e o cultivo de alimentos orgânicos e sustentáveis? Claro! Por este motivo, a experiência brasileira na criação do Plano Nacional de Agroecologia e Produção Orgânica (Planapo) e nas formas de comercialização foi debatida junto a espectadores de vários países nesta quarta-feira (11), na Alemanha. O fórum ‘Políticas governamentais para agricultura orgânica no Brasil’, foi apresentado pelo coordenador de Abastecimento e Comercialização MDA, Igor Teixeira, durante a Biofach.

Oficina debate normativa sobre a Pequena Agroindústria do Leite

O agricultor familiar da Serra da Canastra, em Minas Geras, Luciano Carvalho, deixou sua propriedade nesta quarta-feira de cinzas, 10/02, já a noitinha, e, de ônibus, seguiu rumo à Brasília, chegando ao seu destino no início desta quinta-feira (11). Ele não pôde cumprir sua rotina: cuidar das 40 vacas que cria com a família, ordenhar os 200 litros de leite e, assim, produzir 20 tradicionais queijos canastras. Tinha compromisso muito importante na capital federal. A tarefa nesses dias ficou por conta do filho.

Quilombolas vão fornecer alimentos para programas do Governo Federal

A comunidade Nossa Senhora Aparecida - localizada no município de Cromínia (GO), distante cerca 80 km da capital Goiânia -, será o primeiro grupo quilombola do estado a vender alimentos para programas do Governo Federal.

Assistência técnica muda panorama e impulsiona produção

Da propriedade de Olivan Lima Peres, localizada em Planaltina (DF), todo mês, saem cerca de mil caixas de pimentão para abastecer escolas e hospitais do Distrito Federal. Por meio dos programas de Aquisição de Alimentos (PAA) e da Alimentação Escolar (Pnae), o produtor, que é referência na região, comercializa 90% de sua produção. Mas nem sempre foi assim.

Páginas

Ir para o Topo