PAA

Produção orgânica garante permanência no campo

Produzir alimentos e preservar o meio ambiente. O que antes era apenas uma ideia, hoje é a realidade de muitos agricultores familiares e assentados da reforma agrária que optaram, por meio da agroecologia e da produção orgânica, levar às mesas dos brasileiros um alimento mais saudável – a partir do manejo sustentável dos recursos naturais, sem agrotóxicos e insumos químicos.

Quilombolas fornecerão produtos para alimentação hospitalar

Batata doce, abóbora, alho nacional, feijão preto e arroz polido são alimentos que estão na lista produtos que serão fornecidos por agricultores quilombolas gaúchos, ao Grupo Hospitalar Conceição (RS). E para oficializar a compra, será assinado, nesta quarta-feira (13), um Termo de Adesão para formalizar a compra.

Em Nova Santa Rita (RS), assentados da reforma agrária contam com infraestrutura e políticas de comercialização para aumentar a renda

Cerca de 60 famílias, que vivem no Assentamento Capela, no munícipio de Nova Santa Rita, no Rio Grande do Sul, conquistaram mais qualidade de vida e renda com a produção de arroz orgânico. O assentamento da reforma agrária proporciona a infraestrutura que as famílias precisam para produzir. Lá, elas, ainda, contam com espaços que asseguram a integração e o bem estar da comunidade.

Assentada de Rio Verde (GO) garante renda o ano todo com produção de grãos e leite

O município de Rio Verde (GO) é o maior produtor de grãos do estado de Goiás. Por ano, os agricultores produzem mais de um milhão de toneladas das mais variadas culturas, como arroz, feijão, milho e soja. E é dentro desse município que vive a família da agricultora assentada da reforma agrária Lucimar Guimarães, 49 anos, que contribui para essa estatística, plantando milho e soja.

Associação de mulheres baianas garante renda com venda para o PAA

“Sinto muito orgulho de fazer parte da agricultura familiar.” É assim que a baiana Lídia de Oliveira Silva, 50 anos, define o trabalho no campo. A agricultora mora no município de Riacho de Santana, no sudoeste da Bahia, a 750 km da capital (Salvador), em uma propriedade herdada da família, também agricultores familiares. Lá, ela planta milho, feijão, sorgo, mandioca e hortaliças, que garantem o sustento da família. Além disso, Lídia é atuante em movimento de mulheres e se diz feliz com os resultados.

Em 4 anos, 3,7 milhões de agricultores aderiram ao Garantia-Safra

Francisco Evanildo da Costa, de 34 anos, destaca a contribuição das políticas públicas para as conquistas alcançadas pela família. O agricultor familiar, filho de assentados da reforma agrária, é um dos milhares de brasileiros que recebem incentivos como o Garantia-Safra para produzir com mais segurança e viver melhor em municípios do Semiárido brasileiro. “Aqui no assentamento, cultivamos arroz, feijão e sorgo, culturas fundamentais no prato dos brasileiros, mas que dependem do clima para vingar.

Programas de comercialização garantem renda a agricultores familiares no Ceará

Há quatro anos, com o sonho de melhorar a produção e desenvolver a agricultura familiar local, Airton Aloísio Kern, 50 anos, se reuniu com outros 25 agricultores do município de Maranguape (CE), para criar a Cooperativa Agroecológica da Agricultura Familiar do Caminho de Assis (Cooperfam). Atualmente, 278 cooperados trabalham juntos para, cada vez mais, melhorar o meio rural onde vivem.

Assentadas gaúchas se organizam para comercializar produção

“Quando você forma um grupo, o horizonte é melhor”, garante a coordenadora do Grupo Mulheres da Terra, Isabel Cristina. Moradora do Assentamento Filhos de Sepé, em Viamão (RS). Ela e outras trabalhadoras rurais da região se organizaram para ter uma vida melhor no campo. Para conquistar mais autonomia e renda, comercializam hortaliças, legumes, pães e biscoitos em feiras no estado.

“Os programas do governo me deram uma nova perspectiva”, garante assentada do DF

Depois de anos trabalhando como doméstica em casas de Brasília (DF), a baiana Lindaci Maria dos Santos Cortes, 51 anos, se encantou pelo cultivo de hortaliças ao arrumar um novo emprego na área rural da capital do País. Ela ainda não sabia que aquela seria a última vez que trabalharia para os outros. “Virei agricultora familiar e trabalho para mim mesma”, afirma orgulhosa.

Assentados gaúchos fornecem alimentos para grupo hospitalar de Porto Alegre

Todas as segundas, quartas e sextas-feiras, a rotina na Cooperativa dos Produtores Orgânicos da Reforma Agrária (Coperav), é a mesma: por volta de cinco horas da manhã, um caminhão de uma cooperativa parceira sai carregado com alface, couve verde e mandioca/aipim destinados a quatro hospitais de Porto Alegre.

Páginas

Ir para o Topo