SAF

Para acessar o Microcrédito Rural, é preciso que a família possua: 

Declaração de Aptidão ao Pronaf (DAP), que pode ser obtida, de forma gratuita, no sindicato dos trabalhadores rurais ou na Empresa Estadual de Assistência Técnica e Extensão Rural (Emater), a proposta simplificada de crédito, que pode ser obtida com ajuda do técnico da extensão rural ou do assessor de crédito. (sua elaboração deve ser feita com a participação da família), o CPF regularizado. 

Todos esses documentos devem ser encaminhados ao agente financeiro (Banco do NordesteBanco do Brasil, Banco da Amazônia) para realização da contratação.

 

O acesso ao Microcrédito Rural pode ocorrer por meio de programas de Microcrédito Rural Orientado voltados para os agricultores familiares, como o Agroamigo, o Amazônia Florescer Rural e o Agro B. Esses programas contam com equipes de assessores de crédito, que prestam orientação técnica e financeira no acesso e implementação dos projetos. 

Os agricultores familiares que financiam suas atividades produtivas por meio do Microcrédito Rural têm acesso à assistência técnica no âmbito das parcerias celebradas entre a SAF/MDA e as instituições públicas e organizações não governamentais de extensão rural. O objetivo é assegurar a ampliação do atendimento desses agricultores de forma gratuita e em concordância com a Política Nacional de Assistência Técnica e Extensão Rural (Pnater). 

A forma de atendimento é orientada pela SAF/MDA, por intermédio da divulgação de Portaria n°60 e de cursos de capacitação de técnicos da extensão rural. O objetivo é assegurar a oferta de assistência técnica a partir de três momentos presenciais entre os técnicos e os agricultores (diagnóstico, orientação e avaliação) e sensibilizar esses técnicos para que utilizem uma abordagem diferenciada no atendimento ao público do microcrédito rural, considerando sua realidade socioeconômica. A partir de 2008, os técnicos devidamente capacitados e cadastrados registram suas ações dirigidas aos agricultores familiares que acessam o microcrédito no Sistema SEAF/Ater. 

O papel dos técnicos da extensão rural é crucial na decisão da família sobre o acesso ao Microcrédito Rural e no acompanhamento da aplicação desse crédito na implementação ou no incremento das atividades financiadas. 

Os técnicos devem assessorar as famílias: 

  • • escolhendo atividades que gerem renda e garantam a segurança alimentar,
  • • assegurando formas de inserção nos mercados locais e regionais, incluindo os mercados institucionais, como a alimentação escolar e o Programa de Aquisição de Alimentos (PAA) do Governo Federal,
  • • prestando assistência técnica e orientação para a boa implantação e desenvolvimento dos projetos, para que dêem rentabilidade positiva.

Outras informações importantes, consulte o Manual de Crédito Rural

Ir para o Topo