DPMR

O Programa de Organização Produtiva de Mulheres Rurais tem 
como diretrizes: 

Promoção da Igualdade de Gênero: apoiar ações voltadas à organização produtiva a partir do reconhecimento da desigualdade entre homens e mulheres rurais e da transformação da realidade, 
por meio de ações de fortalecimento institucional e qualificação produtiva. 

Economia Feminista e Solidária: promover ações para o 
reconhecimento social e econômico do trabalho não remunerado exercido pelas mulheres trabalhadoras rurais na composição da renda da agricultura familiar, e estimular a geração de renda própria das mulheres trabalhadoras rurais em atividades econômica e ambientalmente sustentáveis, além de promover atividades produtivas baseadas nos princípios da solidariedade. 

Sistemas de Produção Sustentáveis e Segurança Alimentar: valorizar o papel das mulheres trabalhadoras rurais na produção agroecológica, buscando manter a diversificação da produção com base em alimentos tradicionais e a conservação da biodiversidade dos biomas brasileiros e seus respectivos agroecossistemas, 
garantindo o reconhecimento do papel das mulheres na segurança alimentar. 
Geração de Renda e Agregação de Valor: implementar ações para a geração de renda e ocupação das mulheres no meio rural por meio de processos sustentáveis, compreendendo a sua presença nas cadeias produtivas, nas atividades agrícolas e não-agrícolas e desenvolvendo ações voltadas para a qualificação, obtenção de registros, sistemas participativos de identificação, garantias sócioambientais e rastreabilidade dos produtos. 

Raça e Etnia: assegurar que as ações de organização 
produtiva sejam construídas a partir do reconhecimento das especificidades étnicas e de raça, considerando os princípios do etnodesenvolvimento, valorizando e respeitando as experiências históricas, recursos ambientais, valores e aspirações para potencializar a capacidade autônoma das mulheres dentro das comunidades quilombolas e dos povos indígenas. 

Gestão Econômica: incentivar processos de gestão nas atividades econômicas que rompam com a divisão sexual do trabalho e atuem para a diminuição da pobreza e menor poder de decisão das mulheres, promovendo um empoderamento econômico e social. 

Redes de Grupos de Produção de Trabalhadoras Rurais: 
possibilitar a construção de processos de organização produtiva integrada, de forma a potencializar as ações de desenvolvimento rural sustentável, promoção de intercâmbios, difusão de experiências e apoio a iniciativas de integração social e econômica destas 
organizações. 

Participação e Controle Social: promover a participação das mulheres nos espaços de controle social das políticas públicas, visando fortalecer institucionalidades participativas capazes de gerir iniciativas de desenvolvimento nos territórios rurais e nos assentamentos da reforma agrária com maior igualdade entre homens e mulheres. 
Rede Socioassistencial: promover o acesso das mulheres e suas famílias aos programas, serviços, projetos e benefícios socioassistenciais, em especial, ao Programa de Atenção Integral à Família (PAIF), implementado nos Centros de Referência de Assistência Social, contribuindo para a melhoria das condições de 
vida e o rompimento do ciclo intergeracional da pobreza.

Ir para o Topo