Publicação do Planapo 2016-2019 é lançada na 2ª Cnater

 

Durante a 2ª Cnater, foi realizado o lançamento da publicação do Plano Nacional de Agroecologia e Produção Orgânica (Planapo) para o período 2016-2019. O evento ocorreu no dia 1º de junho, no palco principal do Centro de Convenções Ulysses Guimarães, em ato festivo que antecedeu à apresentação do cantor Chico César.

O Planapo 2016-2019 foi lançado durante o Plano Safra 2016-2017 pela Presidenta Dilma Rousseff e pelo Ministro do Desenvolvimento Agrário Patrus Ananias e instituído por meio de ato normativo publicado em 05 de maio. Sua elaboração é resultado do trabalho conjunto da Comissão Nacional de Agroecologia e Produção Orgânica (CNAPO), integrada por representantes da sociedade civil e do governo, e da Câmara Interministerial de Agroecologia e Produção Orgânica (CIAPO), composta por órgãos públicos federais. Participaram da elaboração do Planapo 2016-2019 diversas entidades da sociedade civil, em diálogo com instituições e órgãos governamentais, em processo iniciado no primeiro semestre de 2015.

A política nacional de agroecologia e produção orgânica tem o objetivo de integrar, articular e adequar políticas, programas e ações que promovam a ampliação do acesso a alimentos saudáveis, a partir de sistemas de produção agrícola ecologicamente equilibrados. O Planapo é o principal instrumento da política e sua primeira edição abrangeu o período de 2013 a 2015.

As ações do Planapo 2016-2019 estão distribuídas nos eixos de produção; uso e conservação de recursos naturais; conhecimento; comercialização e consumo; terra e território e sociobiodiversidade e beneficiam agricultores, assentados da reforma agrária, povos indígenas e povos e comunidades tradicionais (PCT), incluindo a juventude rural, suas organizações e as micro e pequenas agroindústrias, além dos consumidores em geral.

A publicação do Planapo 2016-2019 é um importante passo em direção à continuidade e ao aperfeiçoamento das ações do governo federal em torno da agroecologia e do desenvolvimento rural sustentável e solidário.

Acesse o documento aqui.

Ir para o Topo