Tratores brasileiros vão contribuir para o desenvolvimento rural de Moçambique

segunda-feira, 23 Fevereiro, 2015 - 10:45
Foto: Divulgação

Máquinas brasileiras, comercializadas pelo Programa Mais Alimentos Internacional do Ministério do Desenvolvimento Agrário (MDA), vão contribuir para o desenvolvimento da agricultura familiar de Moçambique. Já foram enviados para o país africano cerca de 250 tratores, em 84 contêineres. A chegada está prevista para março.

Outras máquinas e implementos agrícolas serão enviados. Ao todo, 513 tratores sairão do Brasil com destino Moçambique nesta primeira etapa (tranche).

Além de contribuir para o aumento da produtividade da agricultura familiar de outros países, a exportação de tecnologia, por meio do programa, movimenta a indústria brasileira de máquinas. “O Brasil é referência na produção de equipamentos agrícolas destinados à agricultura familiar. São máquinas mais leves e menos potentes, adequados à realidade”, avalia o coordenador do Programa Mais Alimentos, Lucas Ramalho Maciel.

A transação foi possível após a emissão das cartas de crédito por parte do governo moçambicano em favor de exportadores de máquinas e implementos agrícolas.

Mais Alimentos Internacional

O Programa Mais Alimentos Internacional tem dois objetivos: estabelecer uma linha de crédito concessional para o financiamento de exportações brasileiras de máquinas e equipamentos destinados à agricultura familiar e fornecer apoio a projetos de desenvolvimento rural para o fortalecimento da produção da agricultura familiar por meio da cooperação técnica e do intercâmbio de políticas públicas.

Coordenado pelo MDA, o programa tem a participação de mais de 100 empresas brasileiras, que exportam para seis países: Zimbábue, Moçambique, Senegal, Gana, Quênia e Cuba.

O governo brasileiro já aprovou R$ 1,2 bilhão em exportação de tecnologia de máquinas agrícolas, área em que o Brasil é referência mundial. A previsão é de que mais de 2,5 mil tratores sejam comercializados pelo programa. Além disso, mais de 60 mil equipamentos e máquinas agrícolas também serão usados nas lavouras dos países cooperantes. 

João Paulo Biage
Ascom/MDA

 

Ir para o Topo