Sead promove seminário sobre diferenciação e rastreabilidade para produtos da sociobiodiversidade da Amazônia

sexta-feira, 16 Novembro, 2018 - 16:00
Rômulo Serpa

De iniciativa do projeto Mercados Verdes e Consumo Sustentável (MVCS), resultado da parceria entre e a Secretaria Especial de Agricultura Familiar e Desenvolvimento Agrário (SEAD) com o governo federal alemão por meio da cooperação técnica alemã (GIZ), e com o apoio do consórcio ECO Consult e IPAM Amazônia, da WWF-Brasil, Projeto Private Business Action for Biodiversity (PBAB – GIZ/MMA), Parceria para Conservação da Biodiversidade (ICMBIO/USAID/USFS), Projeto Bem Diverso (Embrapa/PNUD/ GEF), e Instituto Terroá foi realizado, em Brasília o seminário “Diferenciação e rastreabilidade para produtos da sociobiodiversidade da Amazônia”, realizado entre os dias 12 e 13 de novembro.

O evento teve como objetivo intercambiar experiências, analisar desafios e oportunidades, bem como fomentar estratégias conjuntas de comercialização para as cadeias de valor do açaí, da castanha, do pirarucu, da borracha, de óleos e produtos diversos oriundos de organizações econômicas (associações e cooperativas) de agricultores familiares e povos e comunidades tradicionais da Amazônia.

Durante dois dias, o seminário promoveu o encontro de empresas, empreendimentos comunitários, governos, instituições da sociedade civil e instituições de serviços de Assistência Técnica Rural (Ater). O intuito era para que os participantes conhecessen os diferentes modelos de sucesso de diferenciação, fortaleçam redes de contato, e organizem-se em possíveis grupos de trabalho com o intuito de fomentar normas, iniciativas e políticas públicas voltadas a mecanismos de diferenciação. Com os subsídios dos diálogos que foram realizados ao longo do seminário, foi elaborado também um Documento de Referência, contendo recomendações de ações estratégicas para stakeholders envolvidos em cadeias de valor para produtos da sociobiodiversidade.

O evento dialogou sobre a importância de valorizar e promover produtos diferenciados, que agreguem requisitos mínimos de rastreabilidade e sustentabilidade, na Amazônia. Atualmente, uma das principais estratégias de proteção da Amazônia se dá por meio da valorização dos produtos oriundos da sociobiodiversidade, acompanhada do fortalecimento de suas cadeias produtivas, adicionando valor à conservação da floresta e buscando a proteção dos povos e comunidades tradicionais. Num cenário em que cada vez mais o mercado consumidor tem exigido padrões específicos de compra, muitas vezes os produtos florestais, oriundos de negócios comunitários ou pequenos produtores amazônicos, não conseguem atender às exigências mínimas e alcançar formas mais justas de comercialização. Por isso é fundamental o fomento e a implantação de estratégias que tenham potencial para aumentar a comercialização, criar e estimular formas alternativas de mercados, diversificar canais, criar parcerias público-privadas e trabalhar para o reconhecimento e a valorização desses produtos pela sociedade e pelos consumidores.

Para o coordenador-geral de cooperativismo da Sead, o seminário é mais uma e importante iniciativa de valorização da sociobiodiversidade brasileira. “É cada vez maior a participação de produtos da Amazônia nos mercados e espaços  de gastronomia, restaurantes e feiras nacionais e internacionais. Conhecer iniciativas inovadoras de diferenciação e rastreabilidade dos produtos da Sociobiodiversidade da Amazônia é um passo importante para agregar valor a esses produtos.  E também ajuda a divulgar a riqueza cultural que está por trás de boa parte desses produtos."

 

Assessoria de Comunicação
Secretaria Especial de Agricultura Familiar e do Desenvolvimento Agrário
Contatos: (61) 2020-0120 / 0122 e imprensa@mda.gov.br

 








 

Ir para o Topo