Saitex gera expectativa em produtores de fazenda no Pará

segunda-feira, 19 Junho, 2017 - 11:00
Arquivo pessoal
"A Saitex vai abrir portas para que possamos contar nossa história e a importância da preservação da floresta. Abre um leque para sonhar mais e vender o que produzimos”, afirma Hortência Osaqui, gerente da Fazenda Bacuri

 

Bacuri, jenipapo, jambo, cupuaçu, buriti, açaí, murici, taperebá. As frutas se transformam em doces, geleias, licores e polpas concentradas pelas mãos dos agricultores familiares da Fazenda Bacuri, em Augusto Corrêa, no Pará. As produções serão apresentadas na Saitex 2017 - Feira Internacional da África do Sul, que acontece em Joanesburgo, de 25 a 27 de junho. A Fazenda Bacuri é um dos oito empreendimentos selecionados, por meio de chamada pública, para compor o estande Brasil - Family Farming da Secretaria Especial de Agricultura Familiar e do Desenvolvimento Agrário (Sead) no evento.

A Fazenda começou sua história em 2009. Expandiu o trabalho e, atualmente, é uma agroindústria de frutas típicas do Pará. A família Osaqui levará essa história para a Saitex, que, além de gerar expectativas, está mobilizando todos os agricultores a participar em cada detalhe da produção.

“Estamos realizando não só o sonho do nosso pai, mas de todos os agricultores do Pará que nunca tiveram a oportunidade de ver seus produtos irem tão longe. Muitas pessoas não acreditavam que nosso produto chegaria à África do Sul. Era uma realidade muito distante”, diz a gerente da Fazenda Bacuri, Hortência Osaqui.

A agricultora conta emocionada que a Feira Internacional será uma oportunidade de mostrar as riquezas produzidas por todos os agricultores da Fazenda. Estar em um evento desse porte, segundo Hortência, também abrirá um leque de oportunidades no mercado de comercialização. A Fazenda Bacuri apresentará as ‘delícias do Pará’ para degustação no estande da Sead na Saitex. Terão também panfletos e catálogos em inglês.

As produções são fruto do trabalho de três famílias que intensificam sua empreitada entre janeiro e maio – época de colheita do bacuri.  “A Saitex vai abrir portas para que possamos contar nossa história e a importância da preservação da floresta. Abre um leque para sonhar mais e vender o que produzimos”, idealiza Hortência.

Incentivo

A produtora rural Cristina Menezes, de 26 anos, já começa a escrever sua história junto aos paraenses que acreditam nas riquezas do estado. “A Feira traz esperança para cada um de nós. A motivação nos faz querer dizer para as pessoas que elas devem acreditar e dar aquele incentivo: “vamos plantar, isso vai dar certo”, explica a jovem.

O projeto da Fazenda é mostrar a preservação da árvore bacuri, fruta originária da Amazônia, e um dos sabores mais populosos do estado do Pará. Apesar do bacurizeiro ser de uso múltiplo: fruto e madeira, a Fazenda optou em fazer a extração apenas do fruto, por meio do extrativismo. “A madeira do bacurizeiro, na época da colonização, era usada para fazer embarcação. Nosso pai, que cuidava da Fazenda, começou a ver essa árvore com outros olhos. Extrair apenas o fruto, sem arrancar a árvore, que hoje é a fonte de renda para os paraenses”, afirma Hortência. 

Outras produções

A história da Bacuri segue de pai para filho. Atualmente, os sucessores dão continuidade ao sonho antigo do pai, junto a três famílias que mantém suas produções diárias voltadas para agricultura familiar, de forma sustentável. Os produtores rurais trabalham ainda com outros arranjos econômicos: avicultura e produção de mel de abelha indígena. Na parte de turismo sustentável, a Fazenda Bacuri recebe turistas e, durante um passeio, apresenta o ‘sistema de manejo do bacurizeiro’, a fábrica artesanal, além da estrutura da produção da Fazenda.

A Saitex

A Feira Internacional está na 24ª edição. Ao todo, são mais de 400 expositores de 25 países. A média de público nos três dias de evento é de 14 mil pessoas. O estande da agricultura familiar na Saitex promoverá as cooperativas e os produtos brasileiros, que têm capacidade de exportação. O público da Feira é formado não só por países do continente africano, mas também da Ásia e Europa. Nas últimas edições, os produtos do Brasil foram negociados no mercado chinês e europeu.

A Saitex é o maior evento de negócios multissetorial do continente africano. É uma oportunidade de prospecção de negócios e não é permitida a venda direta da produção aos visitantes. O objetivo é promover a exportação e apresentar os produtos para grandes compradores, como mercados varejistas, promover rodadas de negociações e também auxiliar os agricultores nas transações comerciais. Além da Sead, outros órgãos brasileiros estarão presentes na Saitex, entre eles o Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (MAPA) e a Associação Brasileira de Proteína Animal (ABPA).

Leia mais sobre a Saitex aqui

Marília Fidélis

Secretaria Especial de Agricultura Familiar e do Desenvolvimento Agrário

Assessoria de Comunicação

Contatos: (61) 2020-0128 / 0127 e imprensa@mda.gov.br

 

 

Imagens: 
Tags da notícia: 
Ir para o Topo