Notícias

Em setembro, o Sistema Oportunidades da Secretaria Especial de Agricultura familiar e do Desenvolvimento Agrário (Sead) monitorou 287 chamadas públicas para compra de alimentos da agricultura familiar. Em destaque, a região Sudeste ficou com 140 editais, seguido do Sul (80), Nordeste (33), Centro-Oeste (28) e Norte (5). Ao todo, já foram mapeadas mais de 1,2 mil editais desde de julho de 2017.
Elas saem de casa bem cedo com um objetivo: catar mariscos. As marisqueiras se dividem nas capturas pelas praias e rios de todo Brasil. O trabalho é enfrentar riscos, para apanhar muito ou pouco desse fruto do mar. As marisqueiras dependem ainda de um outro fator para ter sucesso no trabalho dentro das águas: a maré. Precisa estar seca. Ou seja, preocupam-se com muitas coisas, entre elas, a preservação do local, pois é de lá que sai o sustento das famílias.
Consumir e produzir de forma sustentável é 12º Objetivo do Desenvolvimento Sustentável. O Tema é abordado nas 17 ODS estipuladas pela Organização das Nações Unidas (ONU) para 2030. Cientes da importância, mulheres da região metropolitana de Curitiba, no Paraná, mostram suas experiências de práticas agroecológicas na manutentação de seus quintais produtivos. O resultado é fascinante: sustentabilidade, alimentação mais saudável e conservação cultural. 
As mudanças climáticas são uma realidade em todo o planeta e o combate a esse fenômeno não poderia ficar de fora dos 17 Objetivos do Desenvolvimento Sustentável (ODS) estipulados pela Organização das Nações Unidas (ONU) para a agenda 2030. A temática é retratada no ODS 13. Para combater e amenizar esses efeitos, os agricultores familiares têm tido um papel fundamental, colocando em prática novos comportamentos, como a captação de água da chuva e produções agroecológicas.
Para vencer o “Concurso vozes, imagens, histórias e experiências das mulheres rurais” na modalidade áudio, Vânia Aparecida Santos da Silva precisou gravar e enviar uma mensagem que contasse um pouco da sua história de vida.Agricultora familiar, 40 anos, negra, educadora. Vânia conta que sempre foi preciso lutar contra o preconceito e a violência. Estudou, fez faculdade de pedagogia e teologia e sonhava em fazer mestrado.
Em várias cores e sabores, as uvas são conhecidas por trazerem benefícios para a saúde. Na Serra Gaúcha, essa deliciosa fruta é a principal matéria-prima utilizada há mais de 80 anos pela Cooperativa Nova Aliança – que tem sua sede no município de Flores da Cunha – na fabricação de suco integral, vinhos finos e de mesa, espumantes, e outros derivados como néctares, cooler, sagu e quentão sem álcool que são comercializados nacionalmente.     
Garantir que as gerações futuras tenham à disposição os recursos naturais que temos hoje é uma das metas que norteiam as ações em prol da sustentabilidade do nosso planeta, seja na zona rural ou nas cidades. A temática está tratada no 11° Objetivo do Desenvolvimento Sustentável: cidades e comunidades sustentáveis, um dos 17 ODS estabelecidos pela Organização das Nações Unidas (ONU) para a Agenda 2030. 
Foi assinado na última segunda-feira (9) o termo de cooperação técnica da campanha Nenhuma Pernambucana Sem Documento, programa da Secretaria da Mulher de Pernambuco, que conta com a parceria da Delegacia Federal do Desenvolvimento Agrário (DFDA-PE).  “A Sead, por meio da Delegacia, também desenvolve o programa de documentação da trabalhadora rural. Com esta parceria reforçamos nossa participação nas políticas voltadas para as mulheres no estado”, salienta o delegado Rodrigo Almeida. 
A Secretaria Especial de Agricultura Familiar e do Desenvolvimento Agrário (Sead) faz parte da delegação brasileira que está participando, em Roma, na Itália, da 44ª reunião anual do Comitê de Segurança Alimentar Mundial (CSA), apoiada pela Organização das Nações Unidas para a Agricultura e Alimentação (FAO). O evento está sendo realizado desde a última segunda-feira (9) e tem programação prevista até o dia 13 de outubro.
A Delegacia Federal do Desenvolvimento Agrário de Mato Grosso (DFDA-MT) realizou, nessa terça-feira (10), uma oficina de políticas públicas da Secretaria Especial de Agricultura Familiar e do Desenvolvimento Agrário (Sead) no município de Peixoto de Azevedo, região do Portal da Amazônia. Os principais temas apresentados foram o Plano Safra da Agricultura Familiar e o Selo da Identificação da Participação da Agricultura Familiar (Sipaf).
Muito consumida no país e considerada a paixão dos nordestinos, a farinha é comumente polvilhada em cima de qualquer refeição. Pode ser usada com várias combinações: carne, feijão, arroz... a tradicional farofa pode ser acrescida de ingredientes típicos de cada região brasileira e há também quem prefira comê-la pura. O que predomina no Nordeste é a de mandioca, conhecida como aipim ou macaxeira, e todo apaixonado por esse alimento não dispensa seu uso, mesmo se mora longe das raízes.
O Ano Internacional da Agricultura Familiar (AIAF) foi em 2014, mas frente aos bons resultados alcançados nesse período, a iniciativa foi estendida por mais 10 anos.  Com AIAF+10, as ações da campanha, declarada pela Assembleia Geral da Organização das Nações Unidas (ONU), permanecem promovendo e aprimorando inciativas em favor da agricultura familiar.
Empoderar e promover a inclusão social, econômica e política de todos, independentemente da idade, gênero, raça, etnia, origem, religião, condição econômica. Estas são as metas propostas no 10º Objetivo do Desenvolvimento Sustentável: redução das desigualdades, um dos 17 ODS estipulados pela Organização das Nações Unidas (ONU) para 2030.  E as mulheres rurais estão à frente nessa luta, como retrata a história da agricultora familiar Verônica Zulian Pontel, de 51 anos. 
Ter a própria marca, levar seu produto para o mercado, ver o seu nome nas prateleiras pelo país. Essa é apenas algumas das alegrias de quem decidiu apostar na agroindústria e fornecer mais que matéria-prima. O desenvolvimento da indústria, da inovação e da geração de valor é tratado no 9° Objetivo do Desenvolvimento Sustentável: indústria, inovação e infraestrutura, um dos 17 ODS estipulados pela Organização das Nações Unidas (ONU) para 2030.  
Com o intuito de debater políticas públicas para a agroecologia na agricultura familiar, a cidade de Porto Alegre (RS) foi palco para o Seminário Políticas Públicas para Agroecologia na América Latina e Caribe. O encontro aconteceu nos dias 4, 5 e 6 de outubro. A Secretaria Especial de Agricultura Familiar e do Desenvolvimento Agrário (Sead) esteve presente e compôs a mesa de “Experiências e propostas de políticas públicas para a agroecologia das organizações de agricultores e movimentos sociais da América Latina e Caribe”.

Páginas

Ir para o Topo