Organizações da Agricultura Familiar discutem pauta para XXVII Reaf

segunda-feira, 4 Dezembro, 2017 - 19:15
Cristiano Welaski

Ao longo dos 13 anos de existência da Reunião Especializada sobre Agricultura Familiar no Mercosul (Reaf), as Organizações da Agricultura Familiar Campesina e Indígena participam das discussões do órgão, a fim de fomentarem ações específicas para o setor. Nesta segunda-feira (4), durante a realização da XXVII Reaf, sob coordenação da Secretaria Especial de Agricultura Familiar e do Desenvolvimento Agrário (Sead), os representantes das entidades se reuniram para discutir a ata do grupo, que será apresentada ao final do evento. A Reunião acontece em Florianópolis (SC) e segue até  sexta-feira (8).

A agricultora familiar paraguaia, Florinda Silva, coordenadora de políticas para mulheres da Confederação de Produtores e Produtoras Familiares do Mercosul (Coprofam), que moderou o  debate, ressaltou quais ações são relevantes no âmbito de políticas para mulheres rurais que serão apresentadas à plenária. "Iremos tratar especificamente de como está a situação da mulher rural campesina e indígena. Qual é o papel que ela exerce dentro do espaço da sua comunidade?" Ela adiciona que  “com o Ano Internacional das Mulheres Rurais, que ocorrera durante o ano de 2018, é importante para trazer à tona o debate sobre a invisibilidade do trabalho realizado pelas mulheres rurais. O que não se vê, o que não se sente, que não se escuta, e que são os problemas sofridos pelas mulheres. São pontos estratégicos para nós, como Coprofam, como sociedade da agricultura familiar e para mim como mulher. Queremos que esse assunto venha à tona, e que se difunda."

Na ocasião, foram debatidas questões estratégicas para a Agricultura Familiar Campesina e Indígena da região, que serão apresentados ao Grupo de Mercado Comum (GMC), Mercosul: A agenda dos Objetivos do Desenvolvimento Sustentável (ODS) 2030; O ano internacional da Agricultura Familiar (AIAF+10); A promoção de ações ligadas ao Ano Internacional das Mulheres Rurais 2018; A consolidação da extensão do Fundo da Agricultura Familiar (FAF). 

O presidente da Coprofam, Alberto Broch, destaca a importância da presença das Organizações da Agricultura Familiar no cenário da construção de políticas públicas voltadas para o campo. "Nós estamos debatendo pontos centrais para a elaboração de uma carta para ser lida em nome de todas as organizações. Iremos focar  na valorização da agricultura familiar e das políticas públicas. Queremos avisar que não temos como combater a fome, e a pobreza, se não valorizarmos o trabalho do agricultor familiar."

 

Carolina Gama 
Assessoria de Comunicação
Secretaria Especial de Agricultura Familiar e do Desenvolvimento Agrário
Contatos: (61) 2020-0120 e imprensa@mda.gov.br

 

Imagens: 
Ir para o Topo