Jovens visitam a Sead e conhecem políticas públicas para a agricultura familiar

sexta-feira, 19 Maio, 2017 - 10:15
Dinho Souto / Ascom Sead
O subsecretário de Desenvolvimento Rural, Marcelo Martins, apresentou dados que mostram a dimensão da agricultura familiar e a sua importância para o país

Um grupo de estudantes do ensino médio de Ubaí e Icaraí de Minas, do Norte de Minas Gerais, conheceu, nesta quinta-feira (18), a estrutura da Secretaria Especial de Agricultura Familiar e do Desenvolvimento Agrário (Sead). Além de conhecer subsecretarias da instituição, os jovens assistiram palestras sobre as características da agricultura familiar e as políticas públicas voltadas para este público. 

Na ocasião, o subsecretário de Desenvolvimento Rural, Marcelo Martins, apresentou dados que mostram a dimensão da agricultura familiar e a sua importância para o país. "A própria sociedade não mostra para esse jovem como o campo pode gerar trabalho e renda. Eu sou filho do mundo rural e, antigamente, tínhamos aquela leitura clara que a roça não era um projeto de vida, que a gente tinha que estudar para ir para a cidade. Precisamos mostrar que não é assim. Que o campo é bom, que existe perspectivas ali", ressaltou o subsecretário. 

Os estudantes ainda tiveram a oportunidade de conhecer melhor o Programa Nacional de Crédito Fundiário (PNCF) com a consultora Andrea Connolly. O programa tem uma linha de crédito voltada para a juventude e tem tido um grande papel na sucessão rural, garantindo o acesso à terra a milhares de jovens por todo o país. "Cerca de 40% dos beneficiários do programa são jovens. Trazer esses estudantes para conhecer e tirar dúvidas sobre as políticas públicas da Sead é um grande avanço”, comentou Andrea Connolly.

O professor de história do grupo, Mailson de Souza, conta que a região vive essencialmente da agricultura familiar e que é de extrema importância mostrar para os jovens o que eles podem construir nesse meio. "Eles estão saindo do ensino médio agora. Conhecer novos ares é muito importante para eles terem novas perspectivas, além de poderem ajudar os pais", comentou. 

É justamente para ajudar os pais que para a estudante Caroline, de 17 anos, muitos saem do campo e migram para a cidade. A jovem afirma que foi muito bom conhecer as políticas que estão disponíveis para ela e para a família dela. “Vou passar essas informação para frente. Onde eu moro, a maioria das pessoas que eu conheço e que foram para a cidade, foram em busca de trabalho para mandar dinheiro para os pais. Com esses programas, além de poder continuar do lado dos pais, os jovens vão poder ajudá-los de alguma maneira”, disse. Caroline não descartou a possibilidade de ir para a cidade, mas ressaltou que não vai deixar o campo de lado e que pretende investir na terra do pai. 

Políticas para a juventude

Os jovens ainda puderam conversar com representante da área de juventude da Coordenação Geral de Políticas para Mulheres Rurais, Juventude e Povos e Comunidades Tradicionais, que apresentou todas ações voltadas para eles na secretaria. A área tem, dentre suas atribuições, o papel de articular as ações e programas de juventude rural na instituição. São cerca de 8 milhões de jovens no campo hoje que tem a disposição programas como, a linha de crédito do PNCF Nossa Primeira Terra; o Pronaf Jovem e o Pronatec Campo.

São programas da Sead que pretendem dar qualidade de vida aos jovens do campo, garantindo a sucessão rural e a continuidade da produção familiar de alimentos nos próximos anos. Saiba mais aqui. Leia neste link reportagem recente sobre o Plano Nacional de Juventude e Sucessão Rural. 

 

Juliana Andrade 
Secretaria Especial de Agricultura Familiar e do Desenvolvimento Agrário
Assessoria de Comunicação
Contatos: (61) 2020-0128 / 0127 e imprensa@mda.gov.br

 

Imagens: 
Ir para o Topo