As feiras e o desenvolvimento dos empreendimentos familiares

segunda-feira, 17 Julho, 2017 - 15:15
Dinho Souto / Ascom Sead

Ver, ser visto e reconhecido. Esses são alguns dos benefícios de integrar a programação de feiras nacionais e internacionais. A participação nesse tipo de evento tem ido muito além do “fazer novos clientes”. As feiras são um espaço para aprender, para tornar a marca conhecida, para ver os produtos da família brasileira conquistar o país e o mundo. 

Para auxiliar os agricultores familiares no fomento de seus negócios, a Secretaria Especial de Agricultura Familiar e do Desenvolvimento Agrário (Sead) tem se empenhado em levar empreendimentos da agricultura familiar brasileira para eventos pelo Brasil e em diferentes países. Feiras, como a Biofach, a Saitex e a Expoalimentaria, têm sido uma vitrine para os mais variados produtos.

Dona Hortência Osaqui é o exemplo claro de que os eventos têm feito a diferença nos empreendimentos. As feiras são um capítulo fundamental na história da Fazenda Bacuri. Do município Augusto Corrêa, no Pará, a agricultora já ouvia de muitos clientes que sua geleia e seu licor de bacuri fariam muito sucesso nos mercados de São Paulo. 

Após ganhar o Selo de Identificação da Participação da Agricultura familiar (Sipaf), Dona Hortência conta que começou a ficar atenta aos editais de feiras que a Sead abre. Ela lembra que antes de ser selecionada, chegou a se inscrever outras duas vezes. “Eu coloquei na cabeça que um dia eu ia conseguir. Fiz a primeira, não deu certo; a segunda, não rolou, mas concluí que ainda não tinha sido selecionada porque não estava preparada”. A realização veio em 2017 em dose dupla. A Fazenda Bacuri foi selecionada no edital da Bio Brazil Fair e da Saitex.

A agricultora relata que além de novos negócios, ela adquiriu experiência, conhecimento e viu seu produto, de fato, ser reconhecido fora e no próprio estado do Pará. “A feira abriu grandes portas para a gente, até mesmo aqui no estado. Estamos tendo oportunidade de participar de feiras regionais que antes não éramos convidados. São novas experiências e vamos seguindo, porque estamos no caminho certo”.

Ela ainda conta que depois da feira encontrou novas utilidades para seu produto. Após a participação na Bio Brazil Fair, Dona Hortência foi procurada por uma empresa de São Paulo para comercializar a semente do Bacuri.  “Como as sementes não tinha muito valor no mercado, eu usava elas para fazer adubo. Agora, o que ia para o adubo está se transformando em dinheiro”, comemora a agricultora.

Mas os produtos de Dona Hortência não pararam em São Paulo. A agricultura decidiu ir mais longe e dessa vez deu um passo mais largo, com destino à África. Em junho, a fazenda Bacuri participou da Saitex, em Joanesburgo. Além de novas oportunidades de mercado, Dona Hortência traduz sua participação na Saitex como um aprendizado e está se preparando para que seu produto ganhe o mundo. “Aprendi bastante sobre o mercado externo e já estou me adequando, principalmente em relação a rotulação”, enfatiza.

Dona Hortência destaca que ficou muito feliz em ver que os clientes aprovaram os produtos da família.  Ela ainda conta que está apenas começando a colher os frutos da participação nos eventos e não deixa de aconselhar outros agricultores familiares a buscarem esse tipo de iniciativa. “Temos que aproveitar as oportunidades de negócios. A gente não pode ter medo, temos que tentar. Somos pequenos, mas temos produtos maravilhosos e temos que trabalhar em cima deles”, frisa. 

Sonho de geração a geração

Dona Hortência se emociona ao ver o sonho do pai tomar essa proporção. Ela lembra que seu pai viu no bacurizeiro um grande potencial de mercado e uma oportunidade de mudar a vida das pessoas. A agricultora conta que no início não acreditou muito no sucesso da produção, chegando até sair da propriedade. Mas em 2009 voltou para a casa do pai e decidiu dar seguimento aos projetos dele. “Meu pai estava precisando de mim, porque ele estava muito doente. Ele deixou tudo plantado, em sistema agroflorestal, e a gente construiu a agroindústria. Cheguei para o meu pai e disse que o sonho dele era realidade”.  Ela ainda completa: “e eu vou continuar”. 

Novas oportunidades

Os agricultores familiares (cooperativas, agroindústrias, empreendimentos) interessados em participar de grandes eventos internacionais com o apoio da Sead) terão mais uma oportunidade. Estão abertas as inscrições para a seleção dos empreendimentos que vão para a Expoalimentaria no estande Brasil - Family Farming. 

A feira irá acontecer em Lima, no Peru, e é tida como um ponto de encontro internacional de empresas exportadoras e recebe compradores dos cinco continentes. Saiba mais aqui

 

Juliana Andrade 
Secretaria Especial de Agricultura Familiar e do Desenvolvimento Agrário
Assessoria de Comunicação
Contatos: (61) 2020-0128 / 0127 e imprensa@mda.gov.br

Ir para o Topo