Começa a XXVII Reaf para discutir a agricultura familiar no Mercosul

segunda-feira, 4 Dezembro, 2017 - 15:15
Cristiano Welaski

Trocar experiências e buscar ações para o fortalecimento da agricultura familiar nos países do Mercosul ampliado.  Com esses objetivos, começa nesta segunda-feira (4) a XXVII Reunião Especializada sobre Agricultura Familiar no Mercosul (Reaf), sob coordenação da Secretaria Especial de Agricultura Familiar e do Desenvolvimento Agrário (Sead), que segue até sexta-feira (8), em Florianópolis (SC). 

“Temos quatro principais temas que nortearão o nosso encontro: a assistência técnica e extensão rural (Ater), juventude rural, mulheres rurais e os novos conflitos agrários. Em todos eles, trabalharemos com o debate entre as organizações da agricultura familiar e instituições governamentais para a construção de políticas públicas mais eficazes para a Região”, ressalta Hur Ben Corrêa da Silva, coordenador de assuntos da agricultura familiar e cooperação internacional da Sead. 

Para o secretário técnico da Reaf, Lautaro Viscay, um dos princípios da Reaf é a oportunidade do diálogo político entre as organizações da agricultura familiar e governos. Segundo ele, as transformações mundiais pedem mudanças de paradigmas com a inclusão de novas metodologias para que, entre outras missões, seja possível combater a fome no mundo e garantir a segura alimentar. “Os fóruns devem ser meios de transformação e a oportunidade do diálogo é a base central para um mundo com mais igualdade e qualidade de vida”, afirma. 

Alberto Ercílio Broch, secretário-geral da Confederação Internacional de Organizações de Produtores e Produtoras Familiares do Mercosul Ampliado (COPROFAM) enfatiza que o espaço de debate da Reaf é uma conquista da luta das organizações da agricultura familiar que buscam o diálogo democrático com as instituições governamentais. Ele lembra que, de acordo com a Organização das Nações Unidas para a Alimentação e a Agricultura (FAO), 850 milhões de pessoas ainda passam fome no mundo. “Queremos que a agricultura familiar seja reconhecida como um instrumento para a transformação dessa realidade. Buscamos qualificar esse debate, lutamos pelo reconhecimento da força das mulheres rurais, igualdade de gênero, oportunidades para um futuro melhor a nossa juventude, além de educação e lazer as nossas crianças. E a Reaf é o mecanismo oficial do Mercosul para isso”, destaca. 

Nesta segunda, a agenda de discussões da Reaf inclui reuniões com representantes das organizações da agricultura familiar campesina e indígena da Reaf e, também, do Grupo Temático de Juventude Rural.

 

Rafaella Feliciano 
Assessoria de Comunicação
Secretaria Especial de Agricultura Familiar e do Desenvolvimento Agrário
Contatos: (61) 2020-0120 e imprensa@mda.gov.br

Imagens: 
Ir para o Topo