Chuva vai beneficiar plantio na região Nordeste

quarta-feira, 27 Janeiro, 2016 - 15:15

A região nordeste possui duas épocas distintas de plantio. A safra verão, que será colhida agora nos primeiros meses do ano, teve a semeadura feita até novembro do ano passado. Já a safra de inverno, que será colhida no segundo semestre, terá o plantio realizado entre abril e maio, meses em que se concentra mais chuva na região.  Os principais produtos cultivados são arroz, feijão, milho, mandioca e mamona, além de frutas, como abacaxi, melancia e manga.

De acordo com o coordenador técnico da Superintendência Baiana de Assistência Técnica e Extensão Rural (Bahiater), Samuel Feldman, os agricultores familiares dependem muito do volume de chuvas para realizar o plantio e desenvolver as culturas, pois a maioria não possui sistema de irrigação.

Mas, segundo ele, este ano tudo deve correr bem, pois São Pedro tem sido mais generoso que no ano passado. “Nesse momento, principalmente aqui na Bahia, tem chovido em muitas localidades. Tem chovido bastante na região oeste e na região sudoeste, o que é um prenuncio de que as culturas serão plantadas, principalmente as da agricultura familiar”, comemora.

Recomendações

Para se obter sucesso com a  lavoura, a principal recomendação é de que o agricultor familiar busque sempre a assistência técnica, que lhe dará suporte em todas as fases, do plantio à colheita. “Ela é importante, pois presta acompanhamento técnico e difunde tecnologias apropriadas para convivência com o semiárido”, destaca Samuel Feldman ao lembrar que assistência técnica se entende até o beneficiamento e comercialização dos produtos, principalmente nos mercados institucionais.  Entre esses mercados está o Programa de Aquisição de Alimentos da Agricultura Familiar (PAA), do Governo Federal.

O coordenador técnico da Bahiater chama atenção para que os agricultores familiares estejam sempre com os documentos em dia.  “A gente pede para que eles estejam com a Declaração de Aptidão ao Pronaf (DAP) em dia, pois é um documento fundamental, caso ele precise de financiamento  ou de acessar alguma política pública”, alerta Samuel Feldman.  

Assistência para o desenvolvimento

O agricultor familiar que vai plantar e precisa de orientações pode contar com o os serviços de Assistência Técnica e Extensão Rural (Ater). O objetivo da Ater é melhorar a renda e a qualidade de vida das famílias rurais, por meio do aperfeiçoamento dos sistemas de produção, de mecanismo de acesso a recursos, serviços e renda, de forma sustentável.

Entre os dias 31 de maio e 3 de junho será realizado em Brasília a 2º Conferência Nacional de Assistência Técnica e Extensão Rural na Agricultura Familiar e na Reforma Agrária (2º CNATER).  O evento busca estabelecer estratégias e ações prioritárias para promover a universalização da Assistência Técnica e Extensão Rural pública e de qualidade para a agricultura familiar.

A conferência é uma realização do Ministério do Desenvolvimento Agrário (MDA) sobre a coordenação do Conselho Nacional de Desenvolvimento Rural Sustentável (Condraf).

 

Adolfo Brito
Ascom/MDA

 

Ir para o Topo