Notícias

A safra 2015/2016 ainda não terminou de ser colhida e 12 mil agricultores já foram amparados pelo Seguro da Agricultura Familiar (SEAF) devido às perdas que tiveram na lavoura. Os prejuízos foram causados por fatores climáticos como seca, granizo, geada e chuva excessiva. Ao todo, R$ 237 milhões já foram pagos pelo seguro a esses agricultores, e esse montante deve aumentar. Outros 15 mil laudos de perdas estão em fase de análise e se, comprovado o prejuízo, esses agricultores também devem receber o seguro até o fim do ano.
O Amazonas é o maior estado brasileiro em território, onde está uma das maiores florestas do mundo, incomparavelmente rica em biodiversidade, a Floresta Amazônica. Por esse motivo, a extração vegetal é uma das principais fontes de renda dos agricultores familiares amazonenses. É de lá que vem, por exemplo, parte do açaí, da borracha e castanhas consumidas no país, por meio do extrativismo.
Avançar! Essa é uma das palavras que mais circulam nas reuniões de trabalho da Secretaria Especial de Agricultura Familiar e do Desenvolvimento Agrário (Sead). Por meio do Programa Nacional de Crédito Fundiário (PNCF), que é desenvolvido pela Secretaria de Reordenamento Agrário (SRA), mais de 30 famílias rurais receberam da Agência de Desenvolvimento Agrário e Extensão Rural (Agraer) escrituras de lotes do assentamento localizado, no Distrito de Quebra Coco, em Sidrolândia. O município fica a 80 quilômetros de Campo Grande (MS).
Começa nesta quarta-feira (28), no Centro de Exposiciones Jockey, em Lima, no Peru, a Expoalimentaria 2016. A feira é considerada o maior evento de bebidas e alimentos da América Latina.  Nesta edição, mais de 650 empresas devem apresentar seus produtos. Segundo os organizadores, a expectativa é que aproximadamente 43 mil pessoas passem pelo local. O Brasil será representado por seis cooperativas de agricultores familiares. Os empreendimentos foram selecionados pela Secretaria Especial de Agricultura Familiar e do Desenvolvimento Agrário (Sead).
O cultivo de abacaxi pode ser uma alternativa para aumentar a renda de produtores familiares de Astorga (PR). O clima favorável e a proximidade com mercados consumidores – Maringá e Londrina – favorecem a atividade. Um grupo de oito produtores já se organizou para analisar a implantação de cultivos no município além de participar de uma palestra técnica sobre a fruta, promovida pelo Instituto Emater e IAPAR. Assim, eles conheceram um pouco mais da cultura do abacaxi. 
A comercialização é a parte mais importante para quem produz alimentos. Ter mercado certo significa renda garantida para a família e a continuação do trabalho rural. Pensando nisso, o segundo Plano Nacional de Agroecologia e Produção Orgânica (Planapo) contempla ações que fortalecem a comercialização dos produtos orgânicos, de base agroecológica e da sociobiodiversidade nos mercados locais, regionais, nacional, internacional e nas compras públicas.
Produtos de nove empreendimentos da agricultura familiar participarão pela primeira vez do XXIV Congresso Brasileiro de Nutrição, que acontecerá no mês que vem, de 26 a 29 de outubro, no Centro de Eventos da Federação das Indústrias do Rio Grande do Sul (Fiergs), em Porto Alegre.
Uma boa oportunidade de vendas para agricultores familiares está em curso até o início de outubro. A Secretaria Municipal de Educação da Prefeitura de São Paulo tem abertas três chamadas públicas – que dispensam licitação – para a aquisição de 62 mil quilos de fubá de milho, 126 mil quilos de feijão preto e 368 mil quilos de arroz parboilizado longo fino Tipo I. Todos são para atendimento ao Programa Nacional de Alimentação Escolar (PNAE).
O Governo do Distrito Federal (GDF) abriu chamada pública para a aquisição de alimentos orgânicos provenientes da agricultura familiar. Os interessados em participar devem apresentar os documentos de habilitação e a proposta técnica de venda na Diretoria de Compras Institucionais da Secretaria de Estado da Agricultura, Abastecimento e Desenvolvimento Rural (Seagri-DF), pessoalmente ou via postal, até o dia 20 de outubro.
“As chocolateiras de Teixeirópolis” é o nome como ficou conhecido o grupo formado por 23 mulheres e dois homens. Com incentivo do governo do estado, e assistidos pela Emater de Rondônia, elas estão conquistando espaço por onde passam. Mas buscam mais: querem construir um prédio para abrigar a agroindústria. O terreno elas já têm, falta agora finalizar o projeto que vai erguer um novo ponto turístico e degustativo das doçuras do cacau.
O Programa de Cadastro de Terras e Regularização Fundiária da Secretaria Especial de Agricultura Familiar e do Desenvolvimento Agrário (Sead) tem como objetivo possibilitar aos agricultores familiares a permanência na terra, por meio da segurança jurídica da posse do imóvel e o acesso às demais políticas públicas do governo – entre elas o crédito rural e a assistência técnica.
“Coloca aí que estamos muito felizes e pergunta se é possível que a terra seja uma só.” O espírito é esse na comunidade Noiva do Cordeiro, distrito rural da cidade de Belo Vale, a 100 quilômetros da capital mineira, Belo Horizonte. O senso de coletividade é forte entre as 98 famílias que moram por lá e que, hoje, vivem muito melhor graças ao Programa Nacional de Crédito Fundiário (PNCF).
O papel da agricultura familiar na produção de alimentos saudáveis no país foi destaque na 15ª Plenária da Comissão Nacional de Agroecologia e Produção Orgânica  (Cnapo), realizada nesta quinta-feira  (22), em Brasília. Esse foi o primeiro encontro entre representantes do Governo Federal e da sociedade civil depois do lançamento do segundo Plano Nacional de Agroecologia e Produção Orgânica  (Planapo/Brasil Agroecológico).
Nesta quinta-feira (22) é celebrada a chegada da primavera no hemisfério sul. Para comemorar o início da estação das flores, onde beleza é fundamental, uma cooperativa brasiliense investe na produção e comercialização de mudas. Dedicação e trabalho em equipe fazem a diferença para o sucesso da Cooperativa dos Produtores de Flores e Hortaliças (Multiflor).  
O Governo do Estado, através da Emater-RN, entregou equipamentos doados para a realização de 10 novas Feiras da Agricultura Familiar na região agreste e litoral sul. Foi realizada, ainda, entrega de kits destinados a Centrais de Comercialização do Programa de Aquisição de Alimentos – PAA/Compra Direta.

Páginas

Ir para o Topo