Campanha de empoderamento é lançada no Dia Internacional da Mulher

quinta-feira, 8 Março, 2018 - 14:45

Segundo o Censo Demográfico mais recente, as mulheres são responsáveis pela renda de 42,4% das famílias do campo no Brasil. O índice é superior ao observado nas áreas urbanas (40,7%). Cerca de 14 milhões de brasileiras que estão nas áreas rurais, nas comunidades quilombolas e indígenas, e nas reservas extrativistas são as protagonistas da agricultura familiar no país – são elas as responsáveis pela produção de 45% dos alimentos que chegam às nossas mesas. 

Nesta quinta-feira, dia 8 de março, comemora-se o Dia Internacional da Mulher. E o Governo Federal, na figura da Secretaria Especial de Agricultura Familiar e do Desenvolvimento Agrário (Sead), parabeniza essas mulheres, guardiãs das sementes e do conhecimento tradicional, que contribuem para a segurança alimentar e para o desenvolvimento sustentável.

A importância da Mulher Rural e o seu empoderamento é tema da Conferência sobre o Status da Mulher (62 CSW), que vai ser realizada na sede das Nações Unidas, de 12 a 23 de março, em Nova York. A CSW é o principal organismo mundial de desenho de políticas dedicada à igualdade de gênero e ao cumprimento dos direitos das mulheres, razão pela qual este ano de 2018 é considerado o Ano da Mulher Rural.

Campanha 

A desigualdade de gênero é uma das causas estruturais da pobreza rural. Para reverter esta situação e desenvolver todo o potencial do mundo rural é necessário implementar ações orientadas ao empoderamento e autonomia das mulheres rurais e indígenas, tema da Campanha organizada pela Sead, junto com a Reunião Especializada sobre Agricultura Familiar no Mercosul (Reaf), Organização das Nações Unidas para Agricultura e Alimentação, CAC-SICA e MGAP/Uruguai.

A abertura oficial da Campanha Regional #Mulheres Rurais, Mulheres com Direitos, aconteceu nesta quinta-feira (8), durante a 35ª Conferência Regional da Organização das Nações Unidas para Agricultura e Alimentação (FAO) para América Latina e Caribe. Desde o dia 5, três países membros da FAO estão reunidos, em Montego Bay, Jamaica, para tratar as diretrizes, temas e prioridades para reduzir a fome e a desnutrição, construir um futuro sem pobreza rural e transformar a agricultura para que seja sustentável e resistente às mudanças climáticas.

Ademais, a ação segue até final de novembro e  tem como referência os 17 Objetivos de Desenvolvimento Sustentável da ONU e suas 169 metas para dos resultados até 2030. A coordenadora da campanha no Brasil e ponto focal da Comissão de Equidade de Gênero da Reunião Especializada sobre Agricultura Familiar no Mercosul (Reaf), Geise Mascarenhas, comenta a respeito do lançamento da iniciativa. "A Campanha fala por si só. Em 2017, 18 países participaram da campanha regional que é traduzida para o espanhol, inglês e francês, além do português – idiomas falados nos países da América Latina e Caribe. Em 2018, Ano de Empoderamento das Mulheres e Meninas Rurais, a campanha vai ter um foco especial na mulher indígena e, por isso, também será traduzida para quatro línguas indígenas, uma das quais será o guarani.”

Mascarenhas relembra o sucesso do concurso realizado pela Sead ano passado de imagens e relatos de vida. “Foi uma grande emoção ter uma finalista da tribo Krahô, o que demonstrou o grande alcance da campanha. Este ano esperamos que as mulheres rurais e, especialmente as mulheres indígenas, participem ativamente da campanha para visibilizar a sua importância como guardiãs das sementes e da mãe terra, e na produção de alimentos, segurança alimentar e economia de suas comunidades e região.”

Selo Mulheres Rurais

A Sead apresentou, nesta quarta-feira (6) na 5ª Conferência Nacional de Segurança Alimentar e Nutricional (CNSAN+2) o selo “Aqui Tem Mulher Rural”, que visa identificar a produção das mulheres da agricultura familiar, reconhecendo o seu papel estratégico na soberania alimentar, promovendo o protagonismo das mulheres no desenvolvimento sustentável, garantindo uma maior autonomia das mulheres nas várias propostas de políticas públicas e com isso, dar visibilidade ao papel da mulher como agente econômico e sujeito político.

 

Carolina Gama 
Assessoria de Comunicação  
Secretaria Especial de Agricultura Familiar e do Desenvolvimento Agrário
Contatos: (61) 2020-0120 e imprensa@mda.gov.br
 

Ir para o Topo