Apresentação de novas medidas do Plano Safra a agricultores do MS

quinta-feira, 22 Setembro, 2016 - 09:00

Para apresentar as novidades do Plano Safra da Agricultura Familiar 2016/2017, a Delegacia Federal da Secretaria Especial da Agricultura Familiar e do Desenvolvimento Agrário (Sead) no Mato Grosso do Sul finaliza nesta semana uma série de reuniões técnicas no estado.

De acordo com o delegado federal da Sead-MS, Dorival Betini, o Plano Safra consolida conquistas e reafirma o compromisso do governo em ampliar a produção de alimentos saudáveis. “Estamos garantindo crédito mais barato para aqueles que produzem a comida que chega às mesas das famílias e para a produção orgânica e de base agroecológica”, disse.

Desde o dia 12 de setembro, mais de 300 representantes de vários municípios do Mato Grosso do Sul participaram dos encontros, entre eles agricultores familiares, representantes de prefeituras, técnicos de Assistência Técnica e Extensão Rural (Ater), representantes de sindicatos, assentados da reforma agrária, entre outros. “Nessas reuniões, é possível ter acesso às alterações do plano, principalmente, em relação a juros, às novas linhas de crédito e às novas alterações sobre o seguro da agricultura familiar”, ressaltou Betini.

O último encontro será nesta sexta-feira (23), no Auditório do Imasul (Rua Desembargador Leão Neto do Carmo, Quadra 3, Setor 3, Parque dos Poderes), em Campo Grande, e contará com a participação Secretário de Desenvolvimento Territorial da SEAD, Marcelo Martins, e de técnicos da Sead.

Plano Safra 2016/2017

As medidas do Plano Safra da Agricultura Familiar 2016/2017 entraram em vigor no dia 1º de julho, quando também começou o novo ano agrícola. Para apoiar a produção dos agricultores familiares de todo o país, o Plano Safra 2016/2017 destinou o valor recorde de R$ 30 bilhões.

Entre as novidades do Plano Safra da Agricultura Familiar 2016/2017, estão a manutenção dos juros abaixo da inflação e os incentivos para a produção de itens agroecológicos e de produtos que integram a cesta básica de alimentos, com impacto direto nos índices de inflação – atualmente, a agricultura familiar é responsável por produzir cerca de 50% dos alimentos da cesta, como arroz, feijão, batata, trigo, café e leite. Os agricultores desses setores contratarão recursos do Pronaf com juros reduzidos de 2,5%, ao ano. Na safra 2015/2016, a taxa era de 5,5%.

 

Talita Viana
Secretaria Especial de Agricultura Familiar e do Desenvolvimento Agrário (Sead)
Assessoria de Comunicação
Contatos: (61) 2020-0123 e imprensa@mda.gov.br

Tags da notícia: 
Ir para o Topo