SERFAL

A Serfal 

A Subsecretaria de Regularização Fundiária da Amazônia Legal (Serfal), uma das subsecretarias da Secretaria Especial de Agricultura Familiar e do Desenvolvimento Agrário (Sead), é que coordena o programa de regularização fundiária Terra Legal instituído pela Lei 11.952 de 25 de junho de 2009, alterada pela Lei 13.465 em 2017. A Serfal tem como competência promover a destinação e a regularização fundiária de terras públicas federais não destinadas na Amazônia Legal. 

Uma região estratégica para o país e para o mundo, seja pela sua exuberante biodiversidade e importância na regulação climática, seja por ser uma fonte de riquezas florestais, minerais, energéticas e de produção resultante do agronegócio.

Terras públicas federais não destinadas são aquelas que não são reservas indígenas, florestas públicas, unidades de conservação, marinha ou reservadas à administração militar.

Coordenado pela Subsecretaria de Regularização Fundiária da Amazônia Legal (Serfal), ligada à Casa Civil da Presidência da República, o Terra Legal vai aperfeiçoar a governança fundiária na Amazônia Legal, promovendo o ordenamento do território em prol do bem comum, da paz no campo e do desenvolvimento sustentável. 

O desafio do Programa é destinar e regularizar 57 milhões de hectares distribuídos nos nove estados que compõem a delimitação da Amazônia Legal. O programa tem um total de cerca de 170 mil parcelas georreferenciadas, dessas, 1.108 são glebas públicas federais, 155.342 são ocupações, 970 são perímetros urbanos e o restante é de outra natureza (assentamentos, unidades de conservação, terras indígenas, etc).

Amazônia Legal: é o nome atribuído pelo governo brasileiro a uma determinada área da Floresta Amazônica, pertencente ao Brasil, e que abrange nove Estados: Acre, Amapá, Amazonas, Pará, Rondônia, Roraima e parte dos estados de Mato Grosso, Tocantins e Maranhão. A área corresponde a aproximadamente 5.217.423 km2, cerca de 61% do território brasileiro. Sua delimitação surgiu da necessidade de melhor planejar e promover o desenvolvimento social e econômico dos estados da região amazônica que historicamente compartilham os mesmos desafios econômicos, políticos e sociais.

Na prática, o Programa legitima as posses de terra de quem dela tira sua subsistência, oferecendo segurança jurídica, inclusão produtiva e acesso à políticas públicas. A demarcação e a titulação de terras rurais contribuem efetivamente para a redução dos conflitos agrários, da grilagem e do desmatamento ilegal na Amazônia.

Numa visão mais abrangente e de longo prazo, o Terra Legal Amazônia é um importante instrumento de transformação da realidade das comunidades amazônicas, cooperando efetivamente para o propósito de conservação dos biomas e implantação de modelos de produção sustentável na Amazônia Legal.

 

ESTRUTURA ORGANIZACIONAL

Em busca da efetividade no exercício das competências recebidas da Lei 11.952/2009, o Terra Legal inovou em seu modelo de gestão consolidando uma  estrutura integrada e complementar orientada para resultados.
 
As ações executivas do Terra Legal são realizadas pela Diretoria de regularização, a qual conta com três coordenações nacionais em Brasília e nove escritórios estaduais (um em cada estado da Amazônia Legal) aos quais  estão vinculadas 12 divisões regionais.
 
 
Para mais informações, acesse aqui as fichas informativas do programa Terra Legal. 
 


 

Ir para o Topo